Escolhas! – de Max Lucado

Escolho o amor

Nenhum fato justifica o ódio; não há injustiça que justifique amargura. Escolho o amor. Hoje amarei a Deus e o que Ele ama.

Escolho a alegria

tumblr_m1imh7RAwb1r7u76ko1_500

Convidarei o meu Deus para que seja o Deus da circunstancia. Recusarei a tentação de ser cínico… a ferramenta do pensador preguiçoso. Recusar-me-ei a ver as pessoas como nada menos que seres humanos, criados por Deus. Recusar-me-ei a ver qualquer problema como nada menos que uma oportunidade de ver Deus.

Escolho a paz

Viverei o perdão. Perdoarei para que possa viver.

Escolho a paciência

tumblr_m4dvypq7tp1r7u76ko1_500

Negligenciarei as inconveniências do mundo. Ao invés de amaldiçoar aquela que tenta tomar o meu lugar, convidá-lo-ei a fazer isto. Não reclamarei a longa espera, mas agradecerei a Deus pelo momento de oração. Ao invés de cerrar meus punhos face a novas designações, enfrentá-las-ei com alegria e coragem.

Escolho a generosidade

Serei generoso para com os pobres, por estarem solitários. Generoso para com os ricos, por estarem temerosos. E generoso para com o mau, pois é assim que Deus tem tratado a mim.

Escolho a virtude

Prefiro ficar sem um tostão a ganhar algum desonestamente. Serei negligenciado para não ser jactante. Confessarei antes que seja acusado. Prefiro a virtude.

Escolho a fidelidade

tumblr_m3n1ovC4eS1qewrpuo1_500

Hoje cumprirei minhas promessas. Meus devedores não lastimarão sua confiança. Meus associados não questionarão minha palavra. Minha esposa não questionará meu amor. E meus filhos nunca temerão que seu pai possa não retornar ao lar.

Escolho a mansidão

Nada pode ser vencido à força. Escolho a mansidão. Se levantar a minha voz, que ela possa ser apenas em louvor. Caso cerre meus punhos, que seja em oração. Caso dê uma ordem, que seja apenas para mim mesmo.

Escolho o autocontrole

Sou um ser espiritual. Após a morte desde corpo, meu espírito subirá. Recuso-me a permitir que a podridão domine o que é eterno. Escolho o autocontrole. Ficarei embriagado apenas pela alegria. Comovido apenas pela minha fé. Serei influenciado apenas por Deus. Serei ensinado apenas por Cristo. Escolho o autocontrole.

  • Amor, alegria, paz, paciência, generosidade, virtude, fidelidade, mansidão, autocontrole. A estes submeto meu dia. Caso seja bem-sucedido, louvarei a Deus. Se falhar, buscarei sua graça. E então, ao anoitecer, colocarei minha cabeça sobre o travesseiro e descansarei.tumblr_m1cyhePohg1r7u76ko1_500
Anúncios

Auxílio para leitura do livro de Atos

Síntese sobre o livro de ATOS

introducao

Se você está estudando o livro de Atos ou já leu, esse apêndice ajudará bastante entender mais do livro tão precioso que conta o início da Igreja do nosso Senhor.

     Tema: Propagação Triunfal do evangelho pelo poder do Espírito Santo.

 

 

PROPÓSITOS:

1-    Demonstrar que o evangelho avançou triunfalmente das fronteiras estreitas do judaísmo para o mundo gentio, apesar da oposição e perseguição.

2-    Revelar a missão do Espírito Santo na vida e no papel da igreja e enfatiza o batismo no Espírito Santo como provisão de Deus para capacitar a igreja a proclamar o evangelho e dar continuidade ao ministério de Jesus.

CARACTERÍSTICAS ESPECIAIS:

1-    A igreja. Atos revela a origem do poder da igreja e a verdadeira natureza da sua missão, juntamente com os princípios que devem norteá-la em todas gerações.

2-    O Espírito Santo. A terceira pessoa da Trindade é mencionada cinquenta vezes; o batismo no Espírito Santo e o seu ministério outorgam poder (1v8), ousadia (4v31), santo temor a Deus (5v3,5,11), sabedoria (6v3,10), direção (16v6-10), e dons espirituais (19v6).

3-    Mensagens da igreja primitiva. Lucas relata com habilidade os ensinos inspirados de Pedro, Estêvão, Paulo, Tiago, e outros, apresentando assim um quadro da igreja primitiva não encontrado noutro lugar do NT.

4-    Oração. Os cristãos primitivos dedicavam-se às orações com regularidade e fervor, que às vezes, duravam a noite inteira, produzindo resultados maravilhosos.

5-    Sinais, maravilhas e milagres. Estas manifestações acompanhavam a proclamação do evangelho no poder do Espírito Santo.

6-    Perseguição. A proclamação do evangelho com poder dava origem à oposição religiosa e/ou secular.

7-    A ordem judaica/gentia. Do começo ao fim de Atos, o evangelho alcança primeiro os judeus e, depois, os gentios.

8-    As mulheres. Há menção especial às mulheres dedicadas à obra contínua da igreja.

9-    Triunfo. Barreira alguma nacional, religiosa, cultural, ou racial, nem oposição o perseguição puderam impedir o avanço do evangelho.

PRINCÍPIO

O livro de Atos não é simplesmente um resumo da história da igreja primitiva; é o padrão perene para a vida cristão e para qualquer congregação cheia do Espírito Santo.

Os crentes devem desejar, buscar e esperar, como norma para a igreja atual, todos os fatos vistos no ministério e na experiência da igreja do NT. Esses fatos são evidentes quando a igreja vive na plenitude do poder do Espírito Santo. Nada, em Atos e no restante do NT, indica que os sinais, maravilhas, milagres, dons espirituais ou padrão apostólico para a vida e o ministério da igreja cessariam, repentina ou de uma vez, no fim da era apostólica.

Personagem Bíblica Feminina: A mulher de Ló

“Lembrai-vos da mulher de Ló”. – PARTE I
Lucas 17.32
Dentre vários exemplos que encontramos na Bíblia, personagens únicos e notáveis, histórias emocionantes e lições de vida riquíssimas, nosso Senhor Jesus Cristo, em exortação à igreja, deixa-nos o seguinte alerta: “Lembrai-vos da mulher de Ló”.
Em Gênesis encontramos sua história: uma mulher que a nosso ver tinha uma religião, era esposa de Ló, um homem justo (2 Pe 2.8) e foi contemporânea de Abraão. Foi uma das 4 pessoas privilegiadas que seriam libertas da destruição de Sodoma e Gomorra, se não tivesse olhado pra trás, e se transformado  em uma estátua de sal, por desobedecer uma ordem direta de Deus. E é apenas por esse fato que ela é lembrada por nós. Então por que Cristo, com tantas ilustres personalidades, manda-nos lembrar da mulher de Ló? Por que não lembrarmos de Ana ou Rute? Por que mantermos sempre à mente alguém cuja alma perdeu-se para sempre?
Que advertência solene se pensarmos no contexto desse verso! O Senhor Jesus falava sobre sua segunda vinda, quando julgará o mundo, e descreve o despreparo em que muitos serão encontrados; Ele dirigia-se não a pessoas que o odiavam ou aos fariseus, mas sim aos seus discípulos, aos que diziam amá-lo. Ele deixa-nos essa ordem demonstrando que desejava que o exemplo da mulher de Ló estivesse sempre fresco na memória.

Três coisas principais definem a história da mulher de Ló:

1.       Os privilégios religiosos dos quais ela desfrutou:
Nos dias de Abraão e Ló, o verdadeiro conhecimento de Deus era muito raro; não havia Bíblias na terra, nem missionários ou igrejas. O conhecimento de Deus era limitado a poucos e a maioria das pessoas vivia nas trevas, no pecado e na ignorância. Com a mulher de Ló não foi assim. Ela experimentou o privilégio de ter bons exemplos, ela viu a fé viva e verdadeira de Abraão e de seu marido, a qual regia suas vidas. O casal viveu com Abraão e quando este recebeu a promessa de Isaque, a mulher de Ló  provavelmente estava lá; quando Ló foi levado cativo por Quedorlaomer e depois liberto pelas mãos de Deus ela esteve presente; quando os anjos chegaram a sua casa e os alertaram sobre a destruição da cidade, ela estava lá, eles a tomaram pela mão.
Porém, apesar de todas as oportunidades e recursos da graça, todos esses privilégios não produziram nenhum efeito no coração da mulher de Ló, os olhos de seu entendimento nunca foram abertos. Ela mantinha uma aparência religiosa por causa do costume daqueles com quem vivia, fazendo o que os outros na casa de Ló faziam. Porém, em todo esse tempo, diante de Deus seu coração estava em pecado, por isso ela morreu como viveu, ímpia, incrédula e sem a graça. O mundo enchia seu coração e seu coração estava no mundo, nessa condição ela viveu e nessa condição ela morreu.
Vemos então, que privilégios religiosos não salvam uma pessoa. Podemos experimentar vários recursos da graça, vivermos em meio à santidade, boas companhias ou estar em comunhão com pessoas que realmente pregam e vivem a Verdade e ainda assim estarmos perdidos pra sempre. É um engano tremendo achar que se estivermos no ‘habitat ideal’ ai sim seremos excelentes cristãos ou então se tivermos os incentivos necessários caminharemos com Deus decididamente. Não precisamos de privilégios, precisamos da graça do Espírito Santo!
Que nós saibamos valorizar os muitos privilégios que temos, mas não coloca-los no lugar de Cristo, afinal de contas, falando como jovem e com jovens, muitos de nós tivemos o privilégio de crescermos num lar cristão, ou então tivemos alguém que se preocupava conosco desde muito pequenos, ouvimos de Cristo e da salvação, do plano de Deus e da graça do Espírito. Porém, tomemos cuidado para que, a despeito desse privilégio que desfrutamos, nosso coração não permaneça endurecido e mundano. Não podemos ficar pendurados na religiosidade de quem quer que seja, precisamos comer do pão da vida por nós mesmos, ter o Espírito em nosso próprio coração, do contrário, não seremos diferentes da mulher de Ló.

Aprendendo sobre o Amor

1. O que é amor? 

Amor é autossacrifício espontâneo pelo bem de outro, que não exige reciprocidade ou que a pessoa amada seja merecedora.


2. Como o amor aparece no casamento?

  1. Amar é estar disposto a ter sua vida complicada pelas necessidades e conflitos de seu marido ou esposa, sem impaciência ou irritação.
  2. Amar é ativamente lutar contra a tentação de julgar e de ser critico com seu cônjuge, enquanto procura maneiras de encorajá-lo e exaltá-lo.
  3.  Amor é o compromisso diário de resistir aos momentos desnecessários de conflito, que vêm de comentários ou da resposta a ofensas menores.
  4.     Amar é ser amavelmente honesto e humildemente acessível em tempos de mal entendidos, e ser mais comprometido com unidade e amor que com vencer, acusar ou estar certo.
  5.  Amor é o compromisso diário de admitir seu pecado, fraqueza e falha, e resistir à tentação de apresentar uma desculpa ou passar a culpa de si.
  6.  Amar significa estar desejoso, quando confrontado por seu cônjuge, de examinar seu coração ao invés de colocar-se em sua própria defesa ou mudar o foco.
  7. Amor é o compromisso diário de crescer em amor, de maneira que o amor que você oferece a seu marido ou esposa seja crescentemente altruísta, maduro e paciente.
  8.  Amar é não desejar fazer o que é errado quando ele/ela errou com você, mas procurar maneiras concretas e específicas de vencer o mal com o bem.
  9.  Amar é ser um bom estudante de seu cônjuge, procurando por suas necessidades físicas, emocionais e espirituais, a fim de que, de alguma forma, você possa remover o fardo, apoiar-lhe enquanto ele/ela o carrega, e encorajar-lhe ao longo da estrada.

Bíblia, o manual da qualidade de vida. pt 2

 Bíblia, o manual da qualidade de vida. pt 2
Bíblia, o manual da qualidade de vida. pt 2
Olá pessoal! No final da primeira parte do nosso estudo “Bíblia, o manual da qualidade de Vida”, estivemos meditando nos versículos de 1 a 4 de Provérbios 3, e pudemos refletir com algumas perguntas: Você tem andado nos caminhos do Senhor como Ele espera? Tem buscado honrar seus pais e a Deus em suas atitudes? Você tem sentido que tem paz em sua vida? Você tem sido bondoso e fiel para com todos e fiel a Deus? Essas verdades estão como um belo colar em seu pescoço e cravadas em seu coração?
Hoje estaremos dando sequência ao nosso estudo meditando nos versículos de 5 a 8 de Provérbios 3 e tirar para nossas vidas mais lições para que possamos ter a cada dia uma vida com a qualidade que Deus quer para nós.
Para não deixar o post muito grande, não estarei escrevendo os versículos, apenas colocarei as referências, portanto pegue sua bíblia para acompanhar o estudo. Então vamos lá.
*3:5,6
Confiar em Deus de todo o coração não seria apenas para os momentos ruins, para um caso de doenças por exemplo, mas é confiar plenamente de que andar em Seus caminhos, buscar a qualidade de vida que Ele propõe e procurar estar no centro de sua vontade é o melhor para a sua vida.
Essa confiança está diretamente ligada ao amor que você tem e demonstra por Deus. Quando você ama a Deus e confia Nele e nos planos e propósitos Dele para sua vida, então você o dá liberdade de agir como Ele bem entender.
Isso é não nos estribar em nosso próprio entendimento, ou seja, não confiar em nós mesmos e na nossa “sabedoria”. Deus sabe mais que nós o que é melhor para nossa vida, nós somos seres que mudam de opinião e gosto a todo momento, mas Deus sabe o que é o melhor para nossa vida em toda e qualquer situação, mesmo que as vezes não entendamos ou que Deus não pareça tão certo assim sobre o que é ou não melhor para mim, mas quando você para e analisa o que Deus tem proposto em nossa vida, vê que Sua sabedoria vai muito além da nossa capacidade.
Lembre-se da aliança que Deus fez com Abraão (Genesis 15 – leia). Nela notamos que Abraão não tinha sua total confiança em Deus pois disse que seu servo seria seu herdeiro, então Deus faz um pacto com Abraão passando por entre os animais cortados. Esse tipo de pacto era sempre feito entre duas pessoas (as duas passando por entre os animais cortados) e se alguma das partes não cumprisse o acordo, esse era morto da mesma forma que os animais morreram. Agora note que apenas Deus passou no meio com a promessa da descendência de Abraão, e qual seria a parte de Abraão no pacto? Confiar. Mas Deus sabia que Abraão falharia em sua parte e assumiu sozinho a responsabilidade e vemos que Abraão é lembrado como o pai da fé.
Isso nos fará reconhecer Deus em todos os nossos caminhos. Quando nos entregamos totalmente ao seu poder, graça e sabedoria Ele endireita nossos caminhos. Reconhecer que sem Deus não somos nada, não podemos nada e não temos nada é de grande importância para a qualidade de nossa vida pois estaremos totalmente desligados da nossa vontade para estarmos ligados a Dele. Assim, podermos entender o mandamento “Amaras pois o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças…” Mc 12:30. Amar com todo o coração, do fundo dos seus sentimentos, confiando sempre que ele tem toda a sabedoria e poder para nos ajudar e fazer tudo segundo a sua vontade.
*3:7,8
Além de nos instruir mais uma vez a não nos acharmos os sabichões (não porquê quis ser chato, mas porque isso é o princípio para deixar Deus no comando), Salomão nos instrui a temer ao Senhor e nos apartar do mal. Esse temer ao Senhor pode ser entendido de duas formas distintas porém ambas corretas, e que estão diretamente ligadas ao apartar-nos do mal.
A primeira ideia de temor é de medo. Não medo de Deus porque Ele é um ser perverso que só quer nos mandar para o inferno ao primeiro erro, mas medo da consequência de andar longe de Deus. Se você acha que com Deus as vezes nossa vida fica difícil, então, imagine sem ele?
João 15:1-7 Jesus se apresenta como sendo a videira verdadeira, e nós somos os ramos. A nossa função como ramo é de dar frutos, mas note que Ele diz que o ramo que der frutos o Pai, o agricultor o limpa (retira os seus frutos) para que ele produza mais. Isso não soa muito agradável, não acho que para o ramo deva ser indolor e fácil ter seus frutos arrancados assim como para nós não é fácil a vida cristã, mas como vimos Deus sabe o melhor para nós o efeito de arrancar nossos frutos é a geração de novos frutos. Mas agora note o que acontece ao ramo que não dá frutos, será cortado e lançado ao fogo. Não vou questionar a salvação pois sabemos que ela independe dos nossos frutos, mas devemos lembrar do que Paulo nos alerta em 1ºCo 15:10-15. Nossas obras serão provadas um dia na presença de Cristo, e perderemos muitos galardões pela nossa falta de frutos. Salvo com que pelo fogo. Não parece tão agradável não é?
A outra ideia de temor é a de respeito. Por respeitarmos Ele que é o criador de tudo que vemos e não vemos, nosso criador, que nos ama incondicionalmente com um amor incalculável, aquele que nos concede perdão dos pecados e nos dá a vida eterna, é que nós procuramos servi-lo e segui-lo. Buscamos estar no centro da sua vontade porque respeitamos e amamos aquele que tem todo o poder.
E tanto por medo de estar longe de Deus quanto por respeito ao seu grande amor com que nos amou nós nos apartamos do mal, ou seja, de tudo aquilo que desagrada a esse grande Deus, nos apartamos do pecado.
Para finalizar, assim como no primeiro estudo, seguir essas instruções gera uma consequência. Salomão nos diz isso será saúde para nosso âmago e medula para nossos ossos. O significado de âmago é o nosso mais íntimo, nossa alma, nossa essência. Ou seja, teremos paz em nossa alma, viveremos seguros e tranquilos confiando em Deus para tudo. E quando vemos medula para nossos ossos isso está diretamente ligado a nossa saúde física, afinal de contas Deus não nos manda fazer nada que venha prejudicar nossa saúde e nosso corpo, muito pelo contrário, somos lembrados que nosso corpo é templo do Espírito Santo e por conta disso devemos cuidar dele.
No fim da segunda parte desse nosso estudo quero que você reflita sobre o quanto confia a Deus a sua vida. Você realmente tem deixado de lado sua “sabedoria” e buscado estar seguindo a vontade daquele que tem toda a sabedoria e reconhecido Ele em todos os seus caminhos?
Pensem, reflitam. Que Deus continue nos abençoando e até a próxima.
Por: João Paulo Machado de Lima