Bíblia, o manual da qualidade de vida. pt 2

 Bíblia, o manual da qualidade de vida. pt 2
Bíblia, o manual da qualidade de vida. pt 2
Olá pessoal! No final da primeira parte do nosso estudo “Bíblia, o manual da qualidade de Vida”, estivemos meditando nos versículos de 1 a 4 de Provérbios 3, e pudemos refletir com algumas perguntas: Você tem andado nos caminhos do Senhor como Ele espera? Tem buscado honrar seus pais e a Deus em suas atitudes? Você tem sentido que tem paz em sua vida? Você tem sido bondoso e fiel para com todos e fiel a Deus? Essas verdades estão como um belo colar em seu pescoço e cravadas em seu coração?
Hoje estaremos dando sequência ao nosso estudo meditando nos versículos de 5 a 8 de Provérbios 3 e tirar para nossas vidas mais lições para que possamos ter a cada dia uma vida com a qualidade que Deus quer para nós.
Para não deixar o post muito grande, não estarei escrevendo os versículos, apenas colocarei as referências, portanto pegue sua bíblia para acompanhar o estudo. Então vamos lá.
*3:5,6
Confiar em Deus de todo o coração não seria apenas para os momentos ruins, para um caso de doenças por exemplo, mas é confiar plenamente de que andar em Seus caminhos, buscar a qualidade de vida que Ele propõe e procurar estar no centro de sua vontade é o melhor para a sua vida.
Essa confiança está diretamente ligada ao amor que você tem e demonstra por Deus. Quando você ama a Deus e confia Nele e nos planos e propósitos Dele para sua vida, então você o dá liberdade de agir como Ele bem entender.
Isso é não nos estribar em nosso próprio entendimento, ou seja, não confiar em nós mesmos e na nossa “sabedoria”. Deus sabe mais que nós o que é melhor para nossa vida, nós somos seres que mudam de opinião e gosto a todo momento, mas Deus sabe o que é o melhor para nossa vida em toda e qualquer situação, mesmo que as vezes não entendamos ou que Deus não pareça tão certo assim sobre o que é ou não melhor para mim, mas quando você para e analisa o que Deus tem proposto em nossa vida, vê que Sua sabedoria vai muito além da nossa capacidade.
Lembre-se da aliança que Deus fez com Abraão (Genesis 15 – leia). Nela notamos que Abraão não tinha sua total confiança em Deus pois disse que seu servo seria seu herdeiro, então Deus faz um pacto com Abraão passando por entre os animais cortados. Esse tipo de pacto era sempre feito entre duas pessoas (as duas passando por entre os animais cortados) e se alguma das partes não cumprisse o acordo, esse era morto da mesma forma que os animais morreram. Agora note que apenas Deus passou no meio com a promessa da descendência de Abraão, e qual seria a parte de Abraão no pacto? Confiar. Mas Deus sabia que Abraão falharia em sua parte e assumiu sozinho a responsabilidade e vemos que Abraão é lembrado como o pai da fé.
Isso nos fará reconhecer Deus em todos os nossos caminhos. Quando nos entregamos totalmente ao seu poder, graça e sabedoria Ele endireita nossos caminhos. Reconhecer que sem Deus não somos nada, não podemos nada e não temos nada é de grande importância para a qualidade de nossa vida pois estaremos totalmente desligados da nossa vontade para estarmos ligados a Dele. Assim, podermos entender o mandamento “Amaras pois o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças…” Mc 12:30. Amar com todo o coração, do fundo dos seus sentimentos, confiando sempre que ele tem toda a sabedoria e poder para nos ajudar e fazer tudo segundo a sua vontade.
*3:7,8
Além de nos instruir mais uma vez a não nos acharmos os sabichões (não porquê quis ser chato, mas porque isso é o princípio para deixar Deus no comando), Salomão nos instrui a temer ao Senhor e nos apartar do mal. Esse temer ao Senhor pode ser entendido de duas formas distintas porém ambas corretas, e que estão diretamente ligadas ao apartar-nos do mal.
A primeira ideia de temor é de medo. Não medo de Deus porque Ele é um ser perverso que só quer nos mandar para o inferno ao primeiro erro, mas medo da consequência de andar longe de Deus. Se você acha que com Deus as vezes nossa vida fica difícil, então, imagine sem ele?
João 15:1-7 Jesus se apresenta como sendo a videira verdadeira, e nós somos os ramos. A nossa função como ramo é de dar frutos, mas note que Ele diz que o ramo que der frutos o Pai, o agricultor o limpa (retira os seus frutos) para que ele produza mais. Isso não soa muito agradável, não acho que para o ramo deva ser indolor e fácil ter seus frutos arrancados assim como para nós não é fácil a vida cristã, mas como vimos Deus sabe o melhor para nós o efeito de arrancar nossos frutos é a geração de novos frutos. Mas agora note o que acontece ao ramo que não dá frutos, será cortado e lançado ao fogo. Não vou questionar a salvação pois sabemos que ela independe dos nossos frutos, mas devemos lembrar do que Paulo nos alerta em 1ºCo 15:10-15. Nossas obras serão provadas um dia na presença de Cristo, e perderemos muitos galardões pela nossa falta de frutos. Salvo com que pelo fogo. Não parece tão agradável não é?
A outra ideia de temor é a de respeito. Por respeitarmos Ele que é o criador de tudo que vemos e não vemos, nosso criador, que nos ama incondicionalmente com um amor incalculável, aquele que nos concede perdão dos pecados e nos dá a vida eterna, é que nós procuramos servi-lo e segui-lo. Buscamos estar no centro da sua vontade porque respeitamos e amamos aquele que tem todo o poder.
E tanto por medo de estar longe de Deus quanto por respeito ao seu grande amor com que nos amou nós nos apartamos do mal, ou seja, de tudo aquilo que desagrada a esse grande Deus, nos apartamos do pecado.
Para finalizar, assim como no primeiro estudo, seguir essas instruções gera uma consequência. Salomão nos diz isso será saúde para nosso âmago e medula para nossos ossos. O significado de âmago é o nosso mais íntimo, nossa alma, nossa essência. Ou seja, teremos paz em nossa alma, viveremos seguros e tranquilos confiando em Deus para tudo. E quando vemos medula para nossos ossos isso está diretamente ligado a nossa saúde física, afinal de contas Deus não nos manda fazer nada que venha prejudicar nossa saúde e nosso corpo, muito pelo contrário, somos lembrados que nosso corpo é templo do Espírito Santo e por conta disso devemos cuidar dele.
No fim da segunda parte desse nosso estudo quero que você reflita sobre o quanto confia a Deus a sua vida. Você realmente tem deixado de lado sua “sabedoria” e buscado estar seguindo a vontade daquele que tem toda a sabedoria e reconhecido Ele em todos os seus caminhos?
Pensem, reflitam. Que Deus continue nos abençoando e até a próxima.
Por: João Paulo Machado de Lima

Bíblia, o manual da qualidade de Vida

 Bíblia, o manual da qualidade de vida. pt 2

Bíblia, o manual da qualidade de Vida

Para este estudo estaremos meditando um pouco no livro de provérbios que foi escrito pelo rei Salomão. Nele podemos encontrar versículos uteis para todas as áreas da nossa vida e em todas as fazes dela. Salomão quando teve a oportunidade de pedir a Deus qualquer coisa, ele pediu algo simples, mas que o ajudou a conquistar todas as outras que talvez eu ou você pediríamos, e foi lembrado na palavra de Deus, como o homem mais sábio de todos, a ponto de reis de todo o mundo virem até ele pela sua sabedoria.
Tiago em sua carta, nos deixa uma instrução no capítulo 1 e versículos 5 e 6 dizendo que se precisamos de sabedoria (principalmente para compreender sua palavra), devemos orar e pedir a Deus, mas ele faz uma observação: “peça-a porém com fé, em nada duvidando”. Deus sempre, através do seu Espírito Santo, nos dará a sabedoria necessária para entendermos seu querer e andar nos seus caminhos.
No capítulo 3 de Provérbios encontramos em alguns versículos um verdadeiro manual para a vida. Considero particularmente o capítulo 3 de provérbios um dos mais ricos em instruções para todas as áreas da vida. Estaremos então meditando um pouco nos 12 primeiros versículos. Para não deixar o post muito grande, não irei digitar os versículos, então sugiro então que pegue sua bíblia e leia o trecho antes de iniciar. Esse estudo será dividido e hoje vamos analisar os 4 primeiros versículos apenas.